luiz one.png

Luiz Onério Pereira 

ACADÊMICA IMORTAL EFETIVA 
               CADEIRA 128
Portfólio atualizado 2022

LUIZ ONÉRIO PEREIRA, nasceu no dia 21/11/49, em Júlio Cardoso, interior de Espumoso, RS. Filho de agricultor. Teve o primeiro contato com as letras na escola Princesa Isabel, da localidade.  Depois passou pelo Grupo Escolar São Caetano, em Linha Ferrari; Ginásio Taperense, em Tapera e Ginásio João Batista Rotta, em Espumoso.  Bem mais tarde cursou o 2º Grau pelo sistema Supletivo.

          Após o Serviço Militar obrigatório permaneceu no Exército por mais cinco anos. Foi cobrador e fiscal em empresa de ônibus e recepcionista de Hotel.  Aprovado por concurso ingressou na Brigada Militar, da qual pediu exclusão para assumir, também por concurso, um cargo no Ministério do Exército, onde se aposentou como Agente Administrativo.  

          Iniciou sua carreira artística participando dos concursos promovidos pelo Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), nas modalidades de causo, declamação, trova e pajada, com sucesso em suas apresentações.

          Luiz Onério domina todas as modalidades da Poesia Oral Improvisada tradicional no Rio Grande do Sul (Trova Campeira, Estilo Gildo, Martelo e Pajada).  Das quais acumula uma vasta premiação.  Entre tantos outros, venceu o 13º Rodeio Crioulo Internacional de Tapera, RS; foi campeão de trova do 1º Rodeio Internacional de Soledade, RS e venceu por nove vezes o Rodeio Inter-Estadual de Espumoso, RS.

          Como compositor nativista gaúcho, juntamente com seus parceiros de música, também acumula uma expressiva premiação de Festivais. Vencendo alguns e sendo premiado em outros, como Melhor letrista, Melhor Conjunto Vocal e Música mais Popular.  Entre Festivais, Grupos Musicais e Solistas Vocais, já chega às 80 composições de sua autoria, gravadas em LP, CD, e DVD. É filiado à Associação Brasileira de Música e Artes (ABRAMUS).

          Há algum tempo dedica-se à Literatura. Escrevendo em versos e prosa. Além de escrever para os Festivais Nativistas, já venceu por duas vezes o Encontro de Arte e Tradição (ENART) MTG, em Poesia Inédita e Causo de Galpão. Ganhou por várias vezes os concursos de Poesia e de Causo na Estância da Poesia Crioula, Academia Xucra do Rio Grande. E, agora está se lançando também no Conto e na Crônica.

          Luiz Onério já integrou o Conselho de Cultura de sua cidade (Cruz Alta, RS). Foi condecorado pelo Poder Público Municipal com a “Medalha do Mérito Cultural”. É Acadêmico Correspondente da Academia Internacional de Artes, Letras e Ciências, A Palavra do Século 21 ¬ ALPAS 21, Cadeira 206.  É membro da Estância da Poesia Crioula (EPC) e Sócio Fundador da Associação Cruz-Altense de Trovadores José de Vargas.

          Tem participação em três Coletâneas: “Cidade Poesia”, em Cruz Alta;  “Cruz Alta, Terra de Érico Veríssimo, Sua Gente e Sua Poesia” e na Coletânea “Concurso Literário de Poesia Simões Lopes Neto”, da Estância da Poesia Crioula.  Tem três livros editados:  “A Estância do Verso Xucro” (poesias);  “O Legado dos Galpões” (causos de galpão)  e “O Poder Que Tem o Verso”, Do Regionalismo Gaúcho à Poesia Universal (poesias).  É autor e interprete do CD de poesias “O Canto do Pajador”.   

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram